Imagem Guia Linear
Guias
Lineares
As Guias Lineares são elementos para movimentos

lineares

. Como nos rolamentos rotatórios, nós diferenciamos aqui, se o elemento rolante ou deslizante suportam as forças que atuam.

As exigências impostas ao componentes lineares são diferenciadas como suas aplicações nas quais eles são utilizados. Então é exigido precisão e velocidade nos sistemas de transporte e alimentação, enquanto que as exigências impostas as máquinas estão mais ligadas à precisão e rigidez. Para encontrarmos aqui o guia linear ideal para uma aplicação é importante termos um portfólio grande de produtos e também uma assistência. INA oferece ambos: Um programa diversificado de guias lineares, combinado com uma assistência competente. E através de um programa de acessórios, em combinação com as aplicações, as versões padronizadas de guias lineares pode ser ainda otimizada ainda mais.

Cada tipo de

guia

possui suas caracteríscias próprias, as quais os tornam ideais para cada tipo de aplicação. A regra geral é que para a escolha do tipo de guia depende dos diversos fatores que devem ser levados em consideração. Além da carga, da aceleração, da velocidade e do avanço, também deve-se considerar outros fatores como temperatura, lubrificação, vibrações, montagem, manutenção, etc.

Os guias são compostos por uma unidade formada por carro e trilho, um rolamento linear - sistema de eixos ou eles são unidades trilho-trilho com gaiolas planas de rolos ou esferas entrepostas. Os guias lineares acionáveis são sistemas completos de eixos múltiplos ou de um eixo com sistema guia mecânico, motor e um sistema de controle.

Os guias lineares são rolamentos fixos prontos para utilização com avanços ilimitados. Os guias de gaiolas planas e os sets de guias lineares são utilizados para avanços limitados, com poucas exceções, devido a cinemática da gaiola. Estes guias absorvem forças em todas as direções - exceto na direção de movimentação - e momentos em todos os eixos. Os guias de eixos com rolamentos de esferas lineares são adequados para cargas nas duas direções e compensam os desvios de alinhamento do eixo. Para a tolerância e rigidez necessárias, a maioria das unidades já são fornecidos pré-tensionados a partir da fábrica ou podem ser tensionados na montagem. As aplicações que exigem movimentos e posicionamento precisos podem ser realizadas sem problemas pois existem várias classes de pré-tensionamento e tolerância.

Para a determinação do tamanho do guia, em primeira linha consideramos o valor e o tipo da carga, assim como o tempo de funcionamento e a segurança. No geral os rolamentos de rolos podem ser mais sobrecarregados do que os guias com base em esferas. No caso de uma carga pequena ou média e movimentos altamente dinâmicos são utilizados preferencialmente

guias de esferas

e, no caso de cargas elevadas, os guias de rolos. Caso seja necessário absorver cargas elevadas, os guias de gaiolas planas e rolos são especialmente adequados.

Os rolamentos deslizantes lineares são rolamentos fixos para avanços ilimitados. Estes guias estão disponíveis como guias deslizantes miniatura, rolamentos deslizante linear Permaglide e unidade deslizante assim como guia plano. Os

guias deslizantes miniatura

são compostos por um sistema carro-trilho com uma camada deslizante que não precisa de manutenção, guias deslizantes lineares permaglide de uma bucha Permaglide que também não precisa de muita manutenção, a qual se encontra em um anel de metal leve. Os guias planos são sistemas de trilhos, nos quais a superfície deslizante é provida de um revestimento deslizante que não precisa de muita manutenção.

Os guias deslizantes tem pouco desgaste, podem ser sobrecarregados estaticamente, são insensíveis à batidas e seujeira, emitem pouco ruído e trabalham livremente. Os guias que não necessitam de manutenção tem que ser lubrificados; os materiais que não necessitam de muita manutenção possuem uma boa característica de movimentos de emergência. Através de características específicas e diversificadas, os guias deslizantes são utilizados em várias áreas, especialmente quando não é possível fazer manutenção ou quando a necessidade é minima, ou quando há perigo de lubrificação mínima ou quando não se deseja utilizar lubrificantes, ou quando não é permitido.

O tempo de vida útil de um sistema linear depende essencialmente da carga, da velocidade, da temperatura e do tempo de funcionamento. Além disto deve-se considerar também os fatores como impurezas, corrosão no funcionamento a seco ou envelhecimento do lubrificante no caso da falta de lubrificação suficiente. O tempo de vida útil nominal é sempre um valor de referência.

Muitos outros fatores externos não podem ser calculados. Testes sob condições de funcionamento mostram dados seguros sobre a utilização e sobre o tempo de vida útil na respectiva aplicação.